PALMAS

BOLSA DE VALORES

B3 começa a negociar primeiro ETF de crédito privado de empresas brasileiras

Publicados

BOLSA DE VALORES

São Paulo, 28 de junho de 2022 – Ocorreu hoje (28) o toque de campainha que marcou o lançamento do ETF Debêntures DI na B3. A partir de agora, as cotas do fundo podem ser negociadas pelo ticker DEBB11.

Gerido pela BTG Pactual Asset Management, o fundo, cuja carteira alvo é composta por mais de 80 debêntures indexadas ao CDI, é o primeiro ETF de crédito privado brasileiro disponível no mercado. Ele permite que o investidor acesse, por meio de um único papel, uma carteira diversificada de títulos corporativos de companhias abertas, que já possuem liquidez no mercado.

O lançamento amplia o portfólio de ETFs de Renda Fixa disponíveis na B3, sendo o 8º da lista. Até o momento, 6 ETFs contavam com exposição a Títulos Públicos e 1 ETF a Contratos Futuros de DI; agora a B3 inclui a exposição a Títulos Corporativos, ampliando a diversificação.

“Este lançamento representa uma inovação muito relevante para o mercado brasileiro. Ele chega para diversificar a variedade de produtos de renda fixa e fomentar um mercado tão importante como o de dívida corporativa local. Cada vez mais, o investidor consegue acessar de forma simples uma carteira diversificada de ativos, inclusive de debêntures”, afirma Luis Kondic, diretor executivo de produtos listados e dados da B3.

Leia Também:  Como escolher as melhores ações?

Para formar o índice, são consideradas debêntures com emissão igual ou superior a R$ 300 milhões, volume mensal de negociação de pelo menos R$ 10 milhões e que tenham pelo menos 40% de presença em dias de negociação. Uma vez adicionados, os ativos permanecem no mínimo um ano na composição do índice, salvo em casos de eventos de crédito. Atualmente, a carteira do índice é composta por 90 ativos de 61 emissores e rebalanceada uma vez por mês, para acompanhar as mudanças de mercado.

Além de permitir a diversificação da exposição do portfólio de forma simplificada, o DEBB11 conta com outra vantagem, que é a tributação diferenciada. Como o prazo do fundo é superior a 720 dias, a alíquota de Imposto de Renda é de apenas 15%, independentemente do prazo de permanência no ativo, a mesma das ações.

Os Exchange Traded Funds (ETFs) são fundos de investimento que têm sua performance atrelada a um índice de referência – que, por sua vez, traz na carteira diferentes ativos, como por exemplo ações de empresas. Ao adquirir um ETF, o investidor consegue capturar em seu portfólio o desempenho de todos os ativos que integram a carteira do fundo. Dessa forma, ele obtém uma exposição diversificada, por meio da compra de um único produto, que é negociado de forma similar às ações.

Leia Também:  União Europeia confirma bloqueio de criptomoedas por guerra na Rússia

É importante que cada investidor conheça bem seu perfil e o funcionamento dos produtos de investimento disponíveis no mercado. Isso possibilitará que ele adquira produtos que estejam realmente alinhados com sua estratégia e seus objetivos financeiros. Para saber mais sobre ETFs, acesse este link.

Fonte: B3

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BOLSA DE VALORES

Cotas do BTG DEB DI passam a ser negociadas na B3

Publicados

em

Um novo fundo de investimentoBTG PACTUAL TEVA DEBÊNTURES DI FUNDO DE ÍNDICE, direcionado a investidores em geral, passa a ter suas cotas negociadas no mercado de bolsa nesta terça-feira (28). Com nome de BTG DEB DI, e código de negociação DEBB11, o lote-padrão é de 1 (uma) cota e a cotação será em R$ por unidade.       

Mais informações:

O Fundo é uma comunhão de recursos destinada à aplicação em carteira de ativos com o

objetivo de refletir as variações e rentabilidade do Índice Teva Debêntures DI, antes de taxas e despesas, calculado e administrado pelo Administrador do Índice, observado o disposto no Capítulo V do Regulamento. A Carteira, observados os limites de diversificação e de composição detalhados no Capítulo VI do Regulamento, e ainda o disposto no item 4.2.1, poderá ser composta por (i) ativos do Índice que integrem o Índice Teva Debêntures DI, observado o disposto no Capítulo V do Regulamento; (ii) cotas de outros fundos de índice que visem refletir as variações e rentabilidade do Índice Teva Debêntures DI; (iii) Investimentos Permitidos; (iv) parcela não superior a 20% (vinte por

Leia Também:  Governo quer venda da Eletrobras nas bolsas de NY e SP

cento) do montante envolvido na operação, contemplando ativos financeiros que não façam parte do Índice Teva Debêntures DI, mas que sejam de mesma natureza daqueles, porém de diferentes emissões; (v) Receitas acumuladas e não distribuídas; e (vi) Valores em Dinheiro.

Administrador / Escriturador: BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM

Confira todos os ETFs listados na B3:

http://www.b3.com.br/pt_br/produtos-e-servicos/negociacao/renda-variavel/etf/renda-variavel/etfs-listados/

Fonte: B3

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA